Instagram

Oxigenioterapia nem sempre é bom... Cada vez mais temos evidências que hiperóxia é danoso ao paciente (seja por aumento de mortalidade, aumento de PCO2 ou por não apresentar benefício mesmo). Contudo uma dúvida que fica é: quando ofertar oxigênio e qual alvo para meu paciente. Algumas doenças possuem indicações individuais como AVC, IAM e DPOC. Outras contudo possuem recomendações extrapoladas de estudos que avaliaram pacientes com "doenças agudas"(incluindo AVC, IAM, sepse, apendicite, etc). A evidência que temos hoje é de que oxigenioterapia para manter saturação maior do que 96% provavelmente não têm benefício, mas não só isso, provavelmente é danoso, alguns estudos demonstrando aumento de mortalidade nesses pacientes. E quando iniciar? Para as doenças que possuem indicação própria deixei um resuminho no post. Para as outras, a recomendação varia, mas sabemos que uma estratégia conservadora provavelmente é mais benéfica, considerando iniciar oxigênio em pacientes com saturação <92-96% (intervalo grande neh?). Vou deixar as referências aqui para quem quiser dar uma lida melhor. Pra quem quer ler algo rápido, o guideline de oxigenioterapia do BMJ de 2018 é o melhor.
BMJ guideline de oxigenioterapia:
doi: 10.1136/bmj.k4169 #internalmedicine #pneumology #oxigenio #emergencia #emergencymedicine #clinicamedica #pneumologia #copd #dpoc #ebm #fisioterapia #fisio