Instagram

A terapia antitrombótica (combinação de antiplaquetários e anticoagulantes) é muito importante nas síndromes coronarianas agudas. Nesse post trazemos de forma rápida e prática como prescrever um dos braços dessa terapêutica (a anticoagulação) para pacientes que serão submetidos à terapia de reperfusão através da fibrinolíticos (temos um post aqui no TdC sobre terapia fibrinolítica no infarto com supra de ST).
Lembre-se que a preferência para reperfusão coronariana é o cateterismo, mas essa não é a realidade da maioria dos serviços no Brasil, então é de fundamental importância saber anticoagular o paciente que será submetido à fibrinólise. .
.
🌍Referências:
.
.
👉O'GARA, Patrick T. et al. 2013 ACCF/AHA guideline for the management of ST-elevation myocardial infarction: a report of the American College of Cardiology Foundation/American Heart Association Task Force on Practice Guidelines. Journal of the American College of Cardiology, v. 61, n. 4, p. e78-e140, 2013. .
.
👉Anticoagulant therapy in acute ST-elevation myocardial infarction, disponível em: https://www.uptodate.com/contents/anticoagulant-therapy-in-acute-st-elevation-myocardial-infarction?source=history_widget

Infarto agudo do miocárdio com supra de ST