Manejo de Sangramento Maior em Pacientes em Uso de Anticoagulante Oral

Criado em: 18 de Setembro de 2023 Autor: Kaue Malpighi

Sangramento é o principal evento adverso dos anticoagulantes e deve ser rapidamente identificado e manejado. Em julho de 2023, foi lançado um consenso no European Journal of Emergency Medicine sobre o tratamento de sangramento maior em pacientes em uso de anticoagulantes orais [1]. Este tópico revisa a definição de sangramento maior e as estratégias para reverter a anticoagulação.

Definição de sangramento maior

Sangramento é a principal complicação do uso de anticoagulantes e é um desfecho de segurança avaliado em estudos com estas medicações. A International Society for Thrombosis and Haemostasis (ISTH) define sangramento maior como um dos seguintes [2]:

  • Sangramento fatal
  • Queda de 2 g/dL de hemoglobina
  • Necessidade de transfusão de dois ou mais concentrados de hemácias
  • Sangramento com acometimento de órgão ou área crítica (intracraniano, intraespinal, ocular, retroperitoneal, pericárdico, articular ou intramuscular com síndrome compartimental).

Essa definição unifica os termos usados para sangramentos graves na literatura. Isso permite uma comparação de resultados dos medicamentos que interferem com a hemostasia.

As principais causas de sangramento maior são: associadas ao trauma, hemorragias intracranianas espontâneas e sangramentos gastrointestinais.

A presença de choque associada a história de sangramento deve apontar para hipovolemia como causa. O manejo inicial consiste na monitorização, suporte hemodinâmico e protocolos de transfusão maciça individualizados em cada instituição. Este suporte independe de exames complementares iniciais como hemograma ou hemoglobina.

Pacientes em uso de antagonistas da vitamina K

O antagonista de vitamina K disponível no Brasil é a varfarina, que atua reduzindo a síntese de fatores II, VII, IX e X. Sua meia-vida é de aproximadamente 48 horas.

Em casos de sangramentos maiores com uso de varfarina, o consenso europeu indica o uso combinado do concentrado de complexo protrombínico de 4 fatores (CCP-4F) e reposição de vitamina K. A repleção dos fatores de coagulação isoladamente pode não ser suficiente para reverter o efeito anticoagulante, existindo a possibilidade de efeito rebote da varfarina. Na indisponibilidade de CCP-4F, pode ser usado plasma fresco congelado (PFC).

A dose de vitamina K é 10 mg e deve ser feita intravenosa. O início da ação pode demorar até duas horas.

{Tabela1}

O CCP-4F contém os fatores II, VII, IX e X, sua ação acontece em menos de trinta minutos. É mais rápido e mais seguro que o PFC, especialmente quando se compara o risco de sobrecarga volêmica. O consenso recomenda que a dose seja conforme o peso e RNI inicial (veja tabela 1). Doses fixas também podem ser consideradas. O RNI deve ser solicitado novamente após 15 minutos da infusão. A dose de CCP-4F pode ser repetida caso o RNI se mantenha acima de 1,5.

Pacientes em uso de anticoagulantes orais diretos

Os anticoagulantes orais diretos (DOACs - direct oral anticoagulants) atuam inibindo fatores específicos:

  • Inibidor do fator II ativado (ou inibidores direto da trombina) - dabigatrana é o único exemplo.
  • Inibidores do fator X ativado - rivaroxabana, apixabana e edoxabana.

A meia-vida difere entre eles, mas é mais curta que da varfarina. Não possuem efeito rebote considerável (veja tabela 2).

{Tabela2}

Em caso de sangramento grave em uso de DOACs, devem ser usados reversores específicos.

Em pacientes em uso de dabigatrana, o consenso recomenda reversão com idarucizumabe, um anticorpo monoclonal que se liga à dabigatrana [3]. Apesar de liberado pela ANVISA, sua disponibilidade ainda é limitada pelo custo.

O alfa andexanete é o reversor recomendado no uso de rivaroxabana e apixabana. É uma proteína recombinante do fator Xa que se liga ao inibidor e inativa seu efeito. Não foi aprovado para a reversão de edoxabana, apesar de este DOAC também agir no fator Xa. No estudo ANNEXA-4, que avaliou sua eficácia em pacientes com sangramento maior e uso de inibidores do fator Xa, houve pouca representação de pacientes em uso de edoxabana [4]. Um outro estudo menor que avaliou especificamente o alfa andexanete em pacientes em uso de edoxabana evidenciou bom controle hemostático [5].

A dose do alfa andexanete depende do tempo desde a última dose de anticoagulante (veja fluxograma 1). É realizada infusão em bolus com ação rápida em até 2 minutos, devendo-se seguir uma dose de manutenção por duas horas para evitar efeito rebote do anticoagulante.

{Fluxograma1}

Em casos de indisponibilidade do idarucizumabe ou alfa andexanete, o uso de CPP-4F pode ser considerado [6].

O estudo ANNEXA-I, que compara o alfa adexanete com tratamento usual (incluindo CPP-4F) em hemorragia intracraniana e uso de rivaroxabana e apixabana, foi interrompido precocemente por ter atingido critérios pré-especificados de superioridade no efeito hemostático. Os resultados deste estudo devem ser publicados em breve.

Compartilhe:
Aproveite e leia:
27 de Maio de 2024

Investigação de Sangramento Gastrointestinal

Sangramento gastrointestinal é uma queixa presente em cenários desde o pronto-socorro até o ambulatório. Na investigação da origem do sangramento podem ser necessários diversos exames, tornando complexa a decisão de qual exame realizar. Essa revisão aborda a investigação do sangramento gastrointestinal, tomando como a base o consenso da American College of Gastroenterology (ACG) e Society of Abdominal Radiology (SAR).

hourglass_empty 24 min
Ler Tópico
3 de Outubro de 2022

Acetazolamida para Insuficiência Cardíaca Descompensada

Um destaque do congresso de 2022 da European Society of Cardiology (ESC), o estudo ADVOR avaliou o uso de acetazolamida na descompensação de insuficiência cardíaca (IC) e seus desfechos clínicos. Em um cenário comum, porém com menos estudos do que gostaríamos, o ADVOR chega para ser um dos maiores trabalhos de diureticoterapia na IC. Vamos aprofundar nesse estudo e na sua pergunta clínica.

hourglass_empty 10 min
Ler Tópico
16 de Janeiro de 2023

Diretriz de AVC Hemorrágico de 2022

A American Stroke Association lançou em maio de 2022 as novas diretrizes de manejo do acidente vascular cerebral hemorrágico (AVCh) espontâneo. A diretriz organiza pontos consolidados e traz recomendações baseadas em resultados de estudos recentes. Confira os tópicos abaixo.

hourglass_empty 8 min
Ler Tópico
11 de Fevereiro de 2024

Angiodisplasia do Trato Gastrointestinal

Angiodisplasia é uma anomalia vascular encontrada comumente no trato gastrointestinal. É causa frequente de sangramento digestivo baixo e anemia ferropriva em idosos. Dois estudos recentes avaliaram o octreotide e a talidomida no manejo de angiodisplasias. Este tópico revisa o tema e traz os resultados dos estudos.

hourglass_empty 6 min
Ler Tópico
26 de Junho de 2023

Reações Transfusionais

Variando de autolimitadas até ameaçadoras à vida, as reações transfusionais são comuns na prática hospitalar. Essa revisão aborda as principais reações e a conduta diante delas. Uma referência nacional para o tema é o "Guia para uso de Hemocomponentes" do Ministério da Saúde.

hourglass_empty 21 min
Ler Tópico

article Artigos

Idarucizumab for Dabigatran Reversal - Full Cohort Analysis

Idarucizumab for Dabigatran Reversal - Full Cohort Analysis

Pollack CV Jr, Reilly PA, van Ryn J, Eikelboom JW, Glund S, Bernstein RA, Dubiel R, Huisman MV, Hylek EM, Kam CW, Kamphuisen PW, Kreuzer J, Levy JH, Royle G, Sellke FW, Stangier J, Steiner T, Verhamme P, Wang B, Young L, Weitz JI. Idarucizumab for Dabigatran Reversal - Full Cohort Analysis. N Engl J Med. 2017.

Full Study Report of Andexanet Alfa for Bleeding Associated with Factor Xa Inhibitors

Full Study Report of Andexanet Alfa for Bleeding Associated with Factor Xa Inhibitors

Connolly SJ, Crowther M, Eikelboom JW, Gibson CM, Curnutte JT, Lawrence JH, Yue P, Bronson MD, Lu G, Conley PB, Verhamme P, Schmidt J, Middeldorp S, Cohen AT, Beyer-Westendorf J, Albaladejo P, Lopez-Sendon J, Demchuk AM, Pallin DJ, Concha M, Goodman S, Leeds J, Souza S, Siegal DM, Zotova E, Meeks B, Ahmad S, Nakamya J, Milling TJ Jr, ANNEXA-4 Investigators. Full Study Report of Andexanet Alfa for Bleeding Associated with Factor Xa Inhibitors. N Engl J Med. 2019.

Andexanet Alfa for Specific Anticoagulation Reversal in Patients with Acute Bleeding during Treatment with Edoxaban

Andexanet Alfa for Specific Anticoagulation Reversal in Patients with Acute Bleeding during Treatment with Edoxaban

Benz AP, Xu L, Eikelboom JW, Middeldorp S, Milling TJ Jr, Crowther M, Yue P, Conley P, Lu G, Connolly SJ, ANNEXA-4 Investigators. Andexanet Alfa for Specific Anticoagulation Reversal in Patients with Acute Bleeding during Treatment with Edoxaban. Thromb Haemost. 2022.

Management of direct factor Xa inhibitor-related major bleeding with prothrombin complex concentrate: a meta-analysis

Management of direct factor Xa inhibitor-related major bleeding with prothrombin complex concentrate: a meta-analysis

Piran S, Khatib R, Schulman S, Majeed A, Holbrook A, Witt DM, Wiercioch W, Schünemann HJ, Nieuwlaat R. Management of direct factor Xa inhibitor-related major bleeding with prothrombin complex concentrate: a meta-analysis. Blood Adv. 2019.
Edição #56
replay_10