Antibiótico na Diverticulite Aguda

Criado em: 08 de Agosto de 2022 Autor: Raphael Coelho

O manejo da diverticulite aguda mudou nos últimos anos. Alguns estudos desafiaram condutas tradicionais que nem sempre foram baseadas em evidências. O estudo DINAMO, publicado no Annals of Surgery em dezembro de 2021, trouxe novas informações em relação ao uso de antibióticos no manejo ambulatorial dessa doença [1].

Manejo clínico

Três pilares sustentam o manejo não invasivo da diverticulite:

  • Controle de Dor
  • Dieta e Hidratação
  • Uso de antibióticos

Não há consenso em relação a dieta mais adequada. A European Society of Coloproctology (ESCP) afirma que não há evidências para apoiar restrições dietéticas, sendo preferível dieta sem restrições, quando tolerada. Três diretrizes americanas, da American Gastroenterological Association (AGA), American Society of Colon and Rectal Surgeons (ASCRS) e American College of Physicians (ACP), não se posicionaram sobre o tema no contexto agudo da diverticulite [2-5].

Quando não é necessário usar antibiótico no paciente internado?

A ideia de que a diverticulite aguda é uma doença mais inflamatória do que infecciosa circula há um bom tempo. Nos últimos 10 anos, dois trabalhos importantes ajudaram a esclarecer esse tema. Ambos avaliaram pacientes internados com diverticulite não complicada, ou seja, sem sinais de perfuração ou abscesso.

O estudo AVOD estudou diverticulite do cólon esquerdo e o DIABOLO, do sigmoide [6, 7]. Não houve diferença nos desfechos entre quem usou antibiótico e quem não utilizou, em relação a complicações, mortalidade e recorrência. O grupo AVOD ainda acompanhou os pacientes por 11 anos [8]. Os grupos foram bem selecionados: quadro leve e sem comorbidades graves.

A AGA em 2015 já sugeria que os antibióticos não deveriam ser prescritos para todos. Naquela época, apenas o AVOD estava publicado, o que não permitia uma recomendação forte.

A ASCRS em 2020, ESCP no mesmo ano, e a ACP em 2022 recomendaram que pacientes selecionados poderiam ser tratados sem antibiótico.

E no paciente ambulatorial?

O DINAMO foi um estudo multicêntrico e randomizado que testou a não inferioridade do manejo sem antibióticos na diverticulite aguda leve. Esse foi o primeiro trabalho a fazer essa comparação no contexto ambulatorial. Os pacientes eram atendidos no pronto-socorro e liberados para casa apenas com sintomáticos ou com sintomáticos e antibióticos. O estudo não utilizou placebo e o desfecho primário foi a taxa de internação ao longo do acompanhamento em 90 dias. De 2016 a 2020, 849 pacientes se enquadraram como diverticulite leve tomográfica. Apenas 480 foram randomizados, pois o restante foi excluído por gravidade clínica ou comorbidades relevantes.

O que o estudo encontrou?

O trabalho encontrou que fazer o manejo sem antibióticos foi não inferior a usar antibióticos em relação a internações, evolução clínica e controle de dor.

{Tabela1}

O perfil de pacientes selecionados, segundo os critérios do DINAMO, foram:

  • Classificação mNeff 0 na tomografia (tabela 1)
  • Único episódio dos últimos 3 meses
  • Ausência de comorbidades significativas (diabetes com complicações, evento cardiovascular nos últimos 3 meses, cirrose ou doença renal crônica)
  • Ausência de imunossupressão
  • No máximo uma alteração em: um critério de SIRS (temperatura, leucócitos, frequência cardíaca ou frequência respiratória) ou PCR (> 15 mg/dL)

Essa conduta é aplicável?

Fica a dúvida se é comum encontrar pacientes que se enquadrem nesses critérios. Isso depende da prevalência de comorbidades graves e diverticulite complicada. Nos centros do estudo DINAMO, 60% dos pacientes avaliados eram mNeff 0. Desse grupo, 40% foi excluído pelo critério gravidade clínica ou comorbidade. Por esses dados, há um número considerável de pessoas que poderiam ser tratadas ambulatorialmente sem antibióticos.

Compartilhe:
Aproveite e leia:
17 de Junho de 2024

Isquemia Mesentérica

Em 2024, o New England Journal of Medicine — Evidence trouxe dois artigos de revisão sobre isquemia mesentérica, uma condição grave e de difícil reconhecimento. Este tópico aproveita as publicações para discutir o tema.

hourglass_empty 9 min
Ler Tópico
17 de Julho de 2023

Diretriz de Insuficiência Hepática Aguda e Crônica Agudizada

A Society of Critical Care Medicine (Sociedade de Medicina Intensiva, em tradução livre) publicou uma nova diretriz de cuidados do paciente com insuficiência hepática crônica descompensada e insuficiência hepática aguda. Este tópico revisa as principais recomendações da diretriz.

hourglass_empty 8 min
Ler Tópico
17 de Outubro de 2022

Tratamento de Neurossífilis

Nos últimos anos há um aumento de casos de sífilis no Brasil. A neurossífilis é uma manifestação rara em que se recomenda o tratamento com penicilina endovenosa, diferente do habitual com penicilina benzatina intramuscular. Existem esquemas alternativos com ceftriaxona ou doxiciclina, mas as diretrizes internacionais e nacionais dão preferência à penicilina. O tratamento endovenoso tem problemas como a necessidade de internação e via de administração, além do possível desabastecimento de penicilina como o que ocorreu de 2014 a 2017. Em 2021 foi publicado no Lancet um trabalho que compara ceftriaxona e penicilina no tratamento da neurossífilis. Vamos aproveitar o artigo para revisar o tema.

hourglass_empty 8 min
Ler Tópico
20 de Novembro de 2023

Piperacilina-Tazobactam e Cefepima: Uso Empírico e Riscos Associados

Piperacilina-tazobactam e cefepime são as principais opções quando há risco de infecção por bacilos gram-negativos resistentes, incluindo Pseudomonas. Existem discussões sobre a nefrotoxicidade relacionada à piperacilina-tazobactam e a neurotoxicidade do cefepima. O estudo ACORN, apresentado na IDWeek e publicado no Journal of the American Medical Association (JAMA) em outubro de 2023, avaliou esses riscos. Este tópico analisa as evidências prévias e os resultados do ACORN.

hourglass_empty 7 min
Ler Tópico
22 de Abril de 2024

Profilaxia de Sangramento Gastrointestinal Durante a Internação

O sangramento gastrointestinal é uma complicação frequente em pacientes hospitalizados, sendo a úlcera de estresse uma causa relevante de morbimortalidade em pacientes críticos. Este tópico aborda a incidência, fatores de risco e indicações de profilaxia de úlcera de estresse.

hourglass_empty 8 min
Ler Tópico

article Artigos

Long-term follow-up of the AVOD randomized trial of antibiotic avoidance in uncomplicated diverticulitis

Long-term follow-up of the AVOD randomized trial of antibiotic avoidance in uncomplicated diverticulitis

Isacson D, Smedh K, Nikberg M, Chabok A. Long-term follow-up of the AVOD randomized trial of antibiotic avoidance in uncomplicated diverticulitis. Br J Surg. 2019.

Randomized clinical trial of observational versus antibiotic treatment for a first episode of CT-proven uncomplicated acute diverticulitis

Randomized clinical trial of observational versus antibiotic treatment for a first episode of CT-proven uncomplicated acute diverticulitis

Daniels L, Ünlü Ç, de Korte N, van Dieren S, Stockmann HB, Vrouenraets BC, Consten EC, van der Hoeven JA, Eijsbouts QA, Faneyte IF, Bemelman WA, Dijkgraaf MG, Boermeester MA, Dutch Diverticular Disease (3D) Collaborative Study Group. Randomized clinical trial of observational versus antibiotic treatment for a first episode of CT-proven uncomplicated acute diverticulitis. Br J Surg. 2017.

Randomized clinical trial of antibiotics in acute uncomplicated diverticulitis

Randomized clinical trial of antibiotics in acute uncomplicated diverticulitis

Chabok A, Påhlman L, Hjern F, Haapaniemi S, Smedh K, AVOD Study Group. Randomized clinical trial of antibiotics in acute uncomplicated diverticulitis. Br J Surg. 2012.

Efficacy and Safety of Nonantibiotic Outpatient Treatment in Mild Acute Diverticulitis (DINAMO-study): A Multicentre, Randomised, Open-label, Noninferiority Trial

Efficacy and Safety of Nonantibiotic Outpatient Treatment in Mild Acute Diverticulitis (DINAMO-study): A Multicentre, Randomised, Open-label, Noninferiority Trial

Mora-López L, Ruiz-Edo N, Estrada-Ferrer O, Piñana-Campón ML, Labró-Ciurans M, Escuder-Perez J, Sales-Mallafré R, Rebasa-Cladera P, Navarro-Soto S, Serra-Aracil X, DINAMO-study Group. Efficacy and Safety of Nonantibiotic Outpatient Treatment in Mild Acute Diverticulitis (DINAMO-study): A Multicentre, Randomised, Open-label, Noninferiority Trial. Ann Surg. 2021.

book Guidelines

Diagnosis and Management of Acute Left-Sided Colonic Diverticulitis: A Clinical Guideline From the American College of Physicians

Diagnosis and Management of Acute Left-Sided Colonic Diverticulitis: A Clinical Guideline From the American College of Physicians

Qaseem A, Etxeandia-Ikobaltzeta I, Lin JS, Fitterman N, Shamliyan T, Wilt TJ, Clinical Guidelines Committee of the American College of Physicians*, Crandall CJ, Cooney TG, Cross JT Jr, Hicks LA, Maroto M, Mustafa RA, Obley AJ, Owens DK, Tice J, Williams JW Jr, Clinical Guidelines Committee of the American College of Physicians. Diagnosis and Management of Acute Left-Sided Colonic Diverticulitis: A Clinical Guideline From the American College of Physicians. Ann Intern Med. 2022.

The American Society of Colon and Rectal Surgeons Clinical Practice Guidelines for the Treatment of Left-Sided Colonic Diverticulitis

The American Society of Colon and Rectal Surgeons Clinical Practice Guidelines for the Treatment of Left-Sided Colonic Diverticulitis

Hall J, Hardiman K, Lee S, Lightner A, Stocchi L, Paquette IM, Steele SR, Feingold DL, Prepared on behalf of the Clinical Practice Guidelines Committee of the American Society of Colon and Rectal Surgeons. The American Society of Colon and Rectal Surgeons Clinical Practice Guidelines for the Treatment of Left-Sided Colonic Diverticulitis. Dis Colon Rectum. 2020.

American Gastroenterological Association Institute Guideline on the Management of Acute Diverticulitis

American Gastroenterological Association Institute Guideline on the Management of Acute Diverticulitis

Stollman N, Smalley W, Hirano I, AGA Institute Clinical Guidelines Committee. American Gastroenterological Association Institute Guideline on the Management of Acute Diverticulitis. Gastroenterology. 2015.

European Society of Coloproctology: guidelines for the management of diverticular disease of the colon

European Society of Coloproctology: guidelines for the management of diverticular disease of the colon

Schultz JK, Azhar N, Binda GA, Barbara G, Biondo S, Boermeester MA, Chabok A, Consten ECJ, van Dijk ST, Johanssen A, Kruis W, Lambrichts D, Post S, Ris F, Rockall TA, Samuelsson A, Di Saverio S, Tartaglia D, Thorisson A, Winter DC, Bemelman W, Angenete E. European Society of Coloproctology: guidelines for the management of diverticular disease of the colon. Colorectal Dis. 2020.